Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Mato Grosso do Sul

Na primeira reunião do ano, Conselho Gestor do FCO analisa 80 cartas-consulta

O CEIF-FCO (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO) realizou na manhã desta quinta-feira (20) a primeira reunião do ano. “Normalm...

21/01/2022 11h10
Por: Redação
Fonte: Secom Mato Grosso do Sul
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O CEIF-FCO (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO) realizou na manhã desta quinta-feira (20) a primeira reunião do ano. “Normalmente é uma reunião para aprovar as novas diretrizes, definir as prioridades e os critérios de procedimentos. No entanto, neste ano tivemos um volume elevado de cartas-consulta já na primeira reunião, foram 80 ao todo”, disse o secretário da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck, que também preside o Conselho.

O Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) disponibilizou neste ano o maior volume de recursos de todos os tempos para Mato Grosso do Sul. São R$ 2,3 bilhões, sendo que 50% são destinados a financiar investimentos na área rural e 50% na área empresarial, que compreende a indústria, o comércio, os serviços e demais atividades não rurais. No ano passado o FCO disponibilizou R$ 1,7 bilhão ao Estado.

“Iniciamos o ano com uma situação bastante positiva. Foram analisadas 80 cartas-consulta na reunião de hoje, mostrando a forte demanda que tem. A maioria demandas do setor rural, mas na própria discussão dessa linha de investimento observamos uma diversidade grande, ou seja, são demandas da Suinocultura, da Avicultura, para correção de solo e armazenamento. O FCO tem essa capacidade de fazer um retrato do estágio de desenvolvimento do Estado”, frisou Verruck.

As 80 cartas-consulta analisadas na primeira reunião do ano totalizam R$ 236.313.926,66 em demanda de investimento. Desse total, destacam-se: 9 projetos para Suinocultura no valor total de R$ 73.944.943,16, três projetos em Avicultura (R$ 21.501.747,36), três projetos para armazenamento (R$ 23.651.930,00) e quatro projetos na área de correção de solo, pleiteando valor de R$ 8.120.315,06.

A correção do solo – por meio do Programa Pro Solo – tem sido uma prioridade do Governo do Estado, e os números do FCO mostram que os agricultores estão respondendo de modo significativo a esse estímulo. “Temos uma demanda expressiva também no setor de irrigação, o que pode ter ocorrido em função da seca”, destacou Verruck.

O secretário manifestou confiança de que, ainda em janeiro, deva ser aprovada a proposta de Mato Grosso do Sul, encaminhada no ano passado ao Ministério de Desenvolvimento Regional – e em tramitação para ser pautada junto ao Conselho Monetário Nacional – que altera as regras de correção dos financiamentos do FCO Empresarial, passando a ser também pré-fixados, como já ocorre com o FCO Rural.

Atualmente, a taxa de juros do FCO Empresarial é pós-fixada e devido à pressão inflacionária, teve uma variação bastante diferente. A proposta é oferecer ao empresário tanto a opção de taxa pós quanto pré-fixada. “Nosso grande desafio é aplicar todo o valor disponibilizado ao FCO Empresarial, sobretudo no fomento dos pequenos e médios negócios”, concluiu.

João Prestes, Semagro

Foto: Divulgação

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Campo Grande - MS
Atualizado às 20h16
19°
Alguma nebulosidade Máxima: 25° - Mínima: 13°
19°

Sensação

7 km/h

Vento

49%

Umidade

Fonte: Climatempo
arranha-céu
arranha-céu2
Anuncio retângulo médio 1
Anuncie aqui
Municípios
anuncio médio 2
Últimas notícias
Retângulo médio
Mais lidas
Retângulo médio 4
Anúncio