Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Corumbá

Volume de chuvas é duas vezes maior do que o esperado para todo o mês de janeiro em Corumbá, MS

A cidade pantaneira ainda se recupera dos estragados ocasionados pelas chuvas de duas semana atrás. Cidades do oeste de Mato Grosso do Sul também estão sofrendo com as fortes chuvas.

26/01/2021 08h02
Por: Redação
Fonte: G1

Segundo os dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o volume de chuvas registrado em janeiro em Corumbá, região pantaneira de Mato Grosso do Sul, é duas vezes maior do que o esperado para o mês. Ao todo já choveu 483,2 milímetros no município, a previsão era de 145,4 milímetros para todo o mês de janeiro.

Com a grande quantidade de chuvas, alagamentos, deslizamentos de terra e ruas encobertas de água tem sido frequentes há pelo menos três semanas, destacam os moradores.

De acordo com o meteorologista Natálio Abrahão, apenas na tarde desta segunda (19) foram registrados 172 raios, inclusive um que tocou ao solo, já em relação à quantidade de chuvas, foi medido 37,2 milímetros. O Corpo de Bombeiros de Corumbá registrou dois chamados para casos de alagamentos, em residências. O especialista explica que a grande quantidade de chuva é em razão de um centro de baixa pressão sobre essas cidades.

Outras cidades

Janeiro vem trazendo chuvas intensas em alguns municípios das regiões oeste e pantaneira de Mato Grosso do Sul. Em razão das condições climáticas já registradas e das estimadas para os próximos dias, a Defesa Civil está observando com atenção, e já emitiu alertas de segurança para alguns municípios.

Na manhã desta segunda (25), a Defesa Civil o município de Miranda, região pantaneira de Mato Grosso do Sul, recebeu alerta após o rio, com mesmo nome da cidade, atingir uma cota de emergência de 700 centímetros. Cerca de quatro famílias estão desabrigadas e duas recorreram ao abrigo em casas de familiares.

No distrito Águas de Miranda, em Bonito (MS), após intensas chuvas e o leito do rio Miranda continuar subindo, 16 famílias continuam desabrigadas. Equipes de monitoramento estão acompanhando diariamente a situação do rio.

Nioaque foi a primeira cidade sul-mato-grossense a decretar situação de emergência em 2021 pelo grande volume de chuvas, segundo o governo do estado. Após intensas chuvas, famílias desalojadas já estão voltando para as casas que ficaram alagadas pelas águas do rio Nioaque, onde o leito ficou nove metros acima do normal. Em razão das fortes chuvas, a defesa civil informou que 51 famílias ficaram desalojadas.

O nível dos rios Aquidauana e Taquari no município de Aquidauana e Coxim, permanecem em situação de alerta. Na medição atualizada, Coxim está em 426 cm, bem próxima ao nível de emergência que é de 500 cm. Já em Aquidauana, a atualização mostra cota de 641 cm, enquanto o nível de emergência é de 800 cm.

Serviço

A Defesa Civil orienta, que as pessoas que residam em áreas de risco, permaneçam em estado de alerta e acompanhem diariamente a previsão do tempo.

O cadastro no serviço de SMS da Defesa Civil para receber alertas e avisos é gratuito. Basta enviar uma mensagem de texto para o número 40199 com o CEP da residência. Feito o cadastro, o telefone e o endereço serão incluídos automaticamente na lista de envio dos alertas de possíveis fenômenos adversos de tempo.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários