Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Golpe do PIX

Polícia faz alerta após queixas de golpe do PIX; uma das vítimas perdeu R$ 4,5 mil: 'Sensação horrível de derrota'

Vítima diz que estava fazendo o cadastro em MS, quando uma pessoa entrou em contato dizendo ser do setor de segurança do banco. Logo após as orientações dele, recebeu mensagem falando da transferência.

29/12/2020 06h08
Por: Redação
Fonte: G1

A Polícia Civil está fazendo um alerta após queixas de vítimas que caíram no golpe do PIX, em Campo Grande. Uma delas, uma dona de casa de 44 anos, conta que perdeu R$ 4,5 mil e está com "uma sensação horrível de derrota", já que o dinheiro seria usado para passar fim de ano e também pagar algumas despesas.

No depoimento, a mulher conta que estava em casa, na véspera de Natal, quando recebeu uma ligação no telefone fixo, no qual uma pessoa informou ser do "setor de segurança da Caixa Econômica Federal". O golpista então começou a passar orientações do que ela deveria fazer para desbloquear o aplicativo, já que ele estaria com problemas e ela estava fazendo algumas tentativas de cadastro.

Em seguida, ainda conforme o registro da ocorrência, o indivíduo foi a conduzindo e ela então fez tudo o que ele pediu. "Eu é quem tinha que fazer tudo pelo meu celular, então, pensei que poderia confiar. É uns segundos de branco que a gente tem e aí acontece isso. Depois, quando vi que eles transferiram tudo o que tinha na conta, foi ruim. Fica uma sensação horrível de derrota", lamentou.

Segundo a vítima, ao final da ligação, o suspeito disse: "Pronto, está desbloqueado!". Um minuto depois, a dona de casa disse que recebeu uma mensagem do banco, afirmando que o envio de um PIX da conta dela, para uma conta virtual, no valor de R$ 4,5 mil, tinha sido feito com sucesso.

"Meu marido é construtor, então também estava usando a conta e colocando dinheiro lá. Nós não queríamos ficar saindo de casa, por conta da pandemia, então, acho que foi por isso que fui fazendo o que ele [golpista] pedia. E eu sempre usei aplicativo para pagar contas, sempre deu certo. Agora eu já exclui tudo, mudei minhas senhas e não pretendo ter mais nada virtual. Não consigo confiar mais", comentou.

Ao entrar em contato com o banco, a vítima disse que ela era a terceira pessoa naquele dia que havia caído no golpe do PIX. Eles então teriam falado que não tem como reaver o dinheiro e ainda deram o prazo de 10 dias úteis, para saber se ela será ressarcida pelo banco ou não.

O delegado Enilton Zalla, que atuou por quase cinco anos como plantonista nas Delegacias de Pronto Atendimento Comunitário (Depa's) de Campo Grande, ressalta que os estelionatários sempre estão se atualizando nos golpes. Com relação ao PIX, ele ressalta que "é uma situação nova" e todos ainda estão aprendendo mais sobre o sistema.

No caso dos bancos, caso seja constatada alguma falha, ele acredita que as vítimas devem sim ser ressarcidas e, para evitar crimes do tipo, devem acrescentar o maior número de dados possível na abertura da conta bancária, dificultando, assim, possíveis crimes.

Técnica antiga de roubo de dados

A alta procura pelo PIX, novo serviço de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central e que entrou em operação no dia 16 de novembro deste ano, mobilizou golpistas a usar técnicas antigas de roubo de dados para enganar clientes durante o cadastramento na plataforma.

Os golpistas aproveitam o momento de cadastramento das Chaves PIX para aplicar golpes. Recentemente, a empresa de segurança digital Kaspersky encontrou mais de 60 sites falsos, que usam as técnicas de "phishing" para o roubo de informações. O termo phishing faz alusão à pescaria, pois golpistas usam o PIX como 'isca' para que a vítima entregue seus dados.

Como escapar do golpe?

A recomendação do Banco Central é que o usuário sempre realize o cadastramento de chaves – e, no futuro, quaisquer operações com o PIX – por meio das plataformas dos bancos ou financeiras. As instituições financeiras, por sua vez, alertam que nunca pedem senhas ou código de validação de transações (tokens) fora de seus canais digitais.

Golpes podem chegar por SMS, e-mail, WhatsApp ou pelas redes sociais. Ao receber uma mensagem de seu banco ou financeira, vale sempre passar o olho em uma lista básica de prevenção.

Nunca clique em links antes de fazer uma boa checagem da mensagem;

Tenha cuidado extra com links encurtados, verifique os outros itens da mensagem com ainda mais cuidado;

Em hipótese alguma forneça senhas ou tokens fora do aplicativo ou site oficial do banco (nem mesmo pelo telefone);

Não compartilhe código de verificação, como do WhatsApp, recebido por e-mail ou SMS;

Verifique o número de onde foi enviado o SMS – números desconhecidos podem significar golpe;

Cheque sempre o remetente do e-mail para verificar se é um endereço válido de seu banco;

Nas redes sociais, veja se a conta da instituição financeira é verificada;

Desconfie de promoções muito generosas.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários