Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Polícia

Justiça decide manter preso advogado que matou PM

.

21/10/2020 08h13
Por: Redação

A defesa do advogado Helder da Cunha entrou com pedido de liberdade provisória sem fiança, solicitando a aplicação de medidas cautelares para impedir a disseminação da covid-19. Porém, o juiz plantonista Thiago Nagasawa Tanaka converteu em preventiva a prisão em flagrante do advogado responsável pela morte do policial militar Luciano Abel de Carvalho Nunes de 29 anos, em acidente de trânsito.

O juiz justificou que pelas condições do delito, praticado sob o estado de embriaguez, sem a habilitação para a categoria específica, aliado a tentativa de fuga, não é recomendável, no momento, a concessão de liberdade provisória.

“O fato do autuado haver cometido o homicídio em total estado de embriaguez, sem habilitação  para a categoria do veículo que conduzia, aliado ao fato de ser pessoa operadora do direito, conhecer das leis, tal fato, causou comoção social, de modo  que infiro não ser recomendável a concessão de medidas cautelares mais brandas”, afirmou o juiz.

Fonte: Enfoquems

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários