Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
EDUCAÇÃO

Decidido! Aulas presenciais só voltam em 2021 nas escolas estaduais de MS

Ano letivo para a rede estadual de ensino termina à distância

06/10/2020 04h08
Por: Redação

O Governo do Estado anunciou nesta segunda-feira (5) que as aulas nas escolas públicas estaduais de Mato Grosso do Sul encerrarão o ano letivo de 2020 à distância. Desta forma, as aulas presenciais nas unidades só serão retomadas a partir de 2021.

Conforme pronunciamento do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a decisão foi tomada com base em levantamento do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia). Segundo a recomendação do programa, a melhor maneira de evitar a contaminação pelo vírus ainda é o distanciamento social.

“Mantendo a responsabilidade e ouvindo a ciência, manteremos as aulas a distância”, disse Reinaldo. O decreto ainda será publicado e o governador pontuou que as escolas permanecerão abertas caso os alunos sintam a necessidade de tirar dúvidas. Mais detalhes ainda devem ser definidos e publicados pela SED (Secretaria de Estado de Educação).

Inicialmente, a SED explicou que, caso as aulas retornassem presencialmente, a prioridade seria aulas dos estudantes do 3º ano do ensino médio, em razão do período pré-vestibular. A secretária de educação, Maria Cecília, disse que o ano letivo encerrará em casa e as aulas deverão ser reforçadas pela TV e internet.

Indefinição na rede municipal

Em audiência que discutiu o retorno das aulas do ensino médio das escolas particulares, na semana passada, o secretário da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro, disse que as aulas presenciais da Reme (Rede Municipal de Ensino) ainda não têm previsão de retorno. “Não se trata de um posicionamento engessado, é preciso ter cautela”, pontuou o secretário.

Em Campo Grande, as aulas presenciais para os alunos do ensino médio devem retornar no dia 19 de outubro. Conforme o secretário de saúde, o prefeito seria a favor do retorno das aulas nas escolas particulares, mas que tudo dependerá da taxa de ocupação dos leitos da Capital.

“Ainda falta avaliar a taxa de ocupação das salas, que ainda deverá ser deliberado. É necessário dar uma retaguarda para quem está no ensino a distância e está tendo dificuldades [estudando em casa]”, disse.

Fonte: Midiamax

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários