Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Anuncie aqui topo
Clima

MS tem calor de 44,1°C e cidades do interior quebram recorde de temperatura do estado de 1962

Segundo o INMET, a maior temperatura registrada em Mato Grosso do Sul havia sido em Corumbá, na região do Pantanal, há 38 anos, com 43,8 °C.

02/10/2020 07h01
Por: Redação

Água Clara e Coxim, duas pequenas cidades do interior do estado quebraram um recorde histórico nesta quarta-feira (30), em Mato Grosso do Sul, ao registrarem 44,1°C. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), essa é temperatura mais alta registrada no estado há 38 anos. A maior havia sido em Corumbá, na região do Pantanal, em 1962, com 43,8 °C.

Segundo o meteorologista Natálio Abrão, a temperatura em Água Clara nesta quinta-feira (1), foi ainda maior com 44,4ºC. No dia anterior, Campo Grande já havia registrado recorde de calor para o mês de setembro de 40,8ºC.

O INMET prevê que as temperaturas continuem superando a marca dos 44ºC em Mato Grosso do Sul nos próximos dias. O meteorologista afirma ainda que o forte calor é resultado de uma combinação de fatores: as queimadas no Pantanal, o fenômeno La Niña e uma massa de ar que está instalada no centro do país.

"Essa massa está instalada há vários dias, parece um bolo e vai crescendo e aumentando a medida que a temperatura aumenta, enquanto não vir uma massa de dar frio, ela não vai embora e a tendência para os próximos dias é piorar", explicou.

O tempo seco e quente no estado vem desde o começo de agosto. A última chuva foi registrada em Campo Grande ocorreu no dia 20 de setembro, mas só foram 2 milímetros, considerado um número insignificante.

O Pantanal que fica a cerca de 250 km da capital, também sofre com a estiagem. Já foi registrado o número mensal mais alto de focos de incêndio desde o início da série histórica do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998: foram 6.048 pontos de queimadas registrados no bioma desde o dia 1º de setembro até o dia 23 de setembro, o dado mais recente. O recorde mensal anterior era de agosto de 2005, quando houve 5.993 focos de incêndio no bioma.

Fonte: G1

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários